Higienização adequada das mãos é fator determinante na prevenção do coronavírus

A higienização adequada das mãos é uma das principais medidas para contenção e prevenção do coronavírus covid-19, que se originou na China no final do ano passado e, em apenas três meses, colocou o mundo inteiro em estado de alerta. No Brasil, o requisitado álcool em gel já começa a faltar nas prateleiras dos mercados e a lavagem constante e adequada das mãos é uma das principais recomendações da OMS e do Ministério da Saúde do Brasil.

O cuidado deve-se a facilidade de transmissão que o novo coronavírus possui. Ele é transmitido através de gotículas de saliva ou muco, expelidos pela boca ou nariz quando o infectado tosse. Um aperto de mão ou contato com um mesmo objeto (como corrimão ou maçaneta de porta) podem ser o suficiente para uma pessoa saudável contrair o covid-19, se as mãos em que houve o contato com o vírus encostarem nos olhos, nariz ou boca.

Diante de um quadro mundial tão alarmante, a lavagem correta das mãos e a utilização de álcool em gel passaram a se tornar um fator determinante para o controle da pandemia. Segundo declaração do Hospital Alemão Oswaldo Cruz, o processo é importante pois o vírus é revestido por uma camada de gordura que, em contato com o álcool ou sabão, é dissolvida, matando-o.

Segundo o pneumologia do Hospital Alemão Oswaldo Cruz, Elie Fiss, mais do que o álcool em gel, em falta na maioria das prateleiras dos supermercados e farmácias de todo o Brasil, o principal hábito é lavar as mãos da maneira adequada: “a higiene das mãos é fundamental para evitar viroses, lembrando que são elas que podem deslocar os microorganismos presentes nas superfícies para o nosso rosto e mucosas”.

 

Cuidado com a água nos hospitais

Naturalmente, os hospitais são os locais onde a doença realmente está presente, e os profissionais da saúde são os mais vulneráveis a contrair o vírus. Em pandemias de alto contágio como essa, a atenção de quem trabalha na área deve ser redobrada, desde a maneira como os profissionais interagem com os pacientes até a qualidade da água utilizada para fazer a higienização.

Segundo a Agência Nacional de Vigilância Sanitária – Anvisa, a qualidade da água utilizada nos serviços de saúde é determinante na segurança de quem trabalha no setor. Além de serem livres de contaminantes químicos e biológicos, devem possuir um armazenamento rigoroso. Eles devem ser limpos e desinfetados, e submetidos a controle microbiológico semestral.

Apesar dos hospitais já estarem de acordo com as normas da Anvisa, o principal desafio está em manter o padrão de qualidade nos hospitais temporários que podem ser montados para controle da doença. Nesses, um fornecimento especial de água é necessário, e o governo deve contar com o auxílio do setor privado.

Carlos Alexandre Marconcini, diretor administrativo da Só Água Potável, fornecedora de água potável em grande volume, destaca a importância da ação: “os casos de epidemia são semelhantes a casos de calamidades públicas nos quais já trabalhamos. Em hospitais temporários, é necessário que exista uma estrutura de abastecimento e armazenamento de água tão efetiva quanto a de grandes hospitais fixos, afinal, é a saúde dos pacientes e profissionais da saúde que está em foco”.

Assim como em outros lugares do mundo, o governo e as prefeituras municipais já estão se mobilizando para a instalação de hospitais temporários em locais onde o quadro da pandemia começa a se agravar. Diante disso, Carlos Alexandre tranquiliza a população sobre o abastecimento de água desses locais: “estamos preparados para prestação de serviço em todo o território nacional. Nossa água é, inclusive, própria para consumo humano, e transportada em tanques de aço-inox que mantêm a qualidade da água, então esse definitivamente não será um problema”.

 

Maneira correta de higienizar as mãos

Para higienização correta das mãos, principalmente durante a pandemia de coronavírus, é necessário reservar um tempo maior para realizar o procedimento. De acordo com a OMS, uma lavagem de mãos eficiente deve durar em torno de 40 a 60 segundos.

Depois de molhar bem as mãos, deve-se pegar o sabão e passar bem entre na palma e no dorso das mãos. O procedimento ainda inclui lavar bem entre os dedos, as unhas e o pulso. É importante lembrar, também, que fechar a torneira com a mão invalida o procedimento: por isso, a dica é utilizar o cotovelo ou um papel toalha, em casos onde a torneira não pode ser fechada da primeira maneira.

Para saber mais sobre a maneira adequada de higienizar as mãos, consulte a cartilha da Anvisa sobre higienização das mãos e segurança do paciente e serviços de saúde: http://bvsms.saude.gov.br/bvs/publicacoes/seguranca_paciente_servicos_saude_higienizacao_maos.pdf.

 

FOTOS:

Atenção a higienização das mãos deve ser redobrada com o coronavírus. Fonte: Pixabay.