Água potável legal e de qualidade: saiba que certificações você pode exigir das empresas que fazem transporte e abastecimento de água com caminhão-pipa

Período de seca no sul do Brasil fez demanda crescer na região; empresas precisam estar regularizadas.

Desde o final de março, Santa Catarina passa por um dos maiores períodos de estiagem dos últimos 14 anos, de acordo com a Defesa Civil. Até o final de maio, mais de 90 municípios catarinenses, principalmente no oeste do estado, decretaram situação de emergência devido ao baixo nível de abastecimento de água potável. As maiores perdas foram no agronegócio, indústrias e construção civil, que além de enfrentarem os desafios da pandemia do novo coronavírus, ainda tiveram a crise agravada pela carência de água. Para essas, a solução muitas vezes está na contratação de empresas de transporte e abastecimento de água com caminhões pipa. Nesse caso, é muito importante estar atento as suas regularizações. Os contratantes têm o direito de exigir dos fornecedores para garantir a procedência e qualidade da água potável que está recebendo.

Para se ter uma ideia, em 2019, a Vigilância Sanitária de Santa Catarina apurou que 40 das 43 empresas que trabalhavam com a atividade no litoral do estado não estavam completamente em conformidade com as leis vigentes, que garantem a qualidade e procedência da matéria-prima da sua captação até o momento de entrega. A consequência é que boa parte dos abastecimentos de água realizados com caminhões pipa na região pôde ter causado malefícios a saúde de quem a consumiu, além da possibilidade de ter sido captada em fontes ilegais ou clandestinas.

As secretarias de saúde municipais, responsáveis pela fiscalização de serviços de transporte e abastecimento de água potável, recomendam que a população preste muita atenção aos indícios de práticas ilegais e exija todas as documentações da prestadora de serviço na hora da entrega. A medida se faz necessária pois ainda não é possível ter controle total sobre a atividade no estado.

Na hora da entrega da água potável com um caminhão-pipa, o motorista deve ter em mãos que atestem e comprovem a qualidade do produto, como os registros de análise da água e a quantidade mínima de cloro exigida por lei. Além disso, todos os caminhões pipa que fazem entrega de água potável devem ter um letreiro escrito “água potável” em seus tanques, juntamente com o endereço e telefone da empresa que fornece o serviço, a fim de garantir que o veículo seja usado única e exclusivamente para o transporte da matéria-prima.

Quem está em conformidade com a lei apoia a rigorosidade na fiscalização do serviço. É o caso da empresa “Só Água Potável”, com sede em Camboriú, no litoral centro-norte de Santa Catarina. Para Carlos Alexandre Marconcini, a burocracia garante que os clientes se sintam livres de preocupações com a procedência e qualidade da água potável. “Muito mais do que controle, é questão de saúde pública. A água potável requer muitos cuidados especiais que, quando não cumpridos, podem causar malefícios para a saúde. Ou, quando captadas de fontes irregulares ou clandestinas, podem prejudicar o meio ambiente de maneira permanente. Por isso o nosso principal diferencial é manter todo o nosso negócio de maneira legal e que proporcione transparência para o cliente”, revela.

Carlos Alexandre ainda revela uma orientação que passa aos motoristas da Só Água Potável: “para que o cliente possa ter certeza que a água potável que entregamos é de qualidade e própria para consumo, eu instruo os meus funcionários a beberem a água do próprio caminhão-pipa na hora da entrega, caso essa seja a vontade do cliente. Assim ele tem certeza de que está comprando um produto que não vai causar malefícios a sua saúde”. Ele ainda sugere: “essa prática poderia se tornar uma obrigatoriedade entre todas as empresas do setor”, comenta.

As empresas devidamente regularizadas, cada vez mais, fomentam as organizações públicas para que se tenha maior controle nas captações, transportes e abastecimentos de água potável com caminhões pipa. Mas, enquanto isso não acontece, a melhor alternativa de se manter seguro e tranquilo quanto a água que consome é exigindo as certificações.

 

FOTOS:

Identificação da empresa e letreiro “água potável” deve identificar caminhões-pipa. Motorista deve possuir em mãos documentos que comprovem a qualidade e procedência da água. Foto: Só Água Potável.

OUTROS POSTS